Metaverso: O Guia para o Mundo Virtual

Se está aqui, então certamente que já ouviu falar no Metaverso.

Nas redes sociais, em anúncios, nas notícias, este conceito aparece como a próxima grande inovação que mudará a forma como nos relacionamos com os outros.

E até tem razão de ser, mas parece que ninguém sabe dizer ao certo o que é este mundo digital.

Foi por isso que escrevemos este guia, onde explicamos o que é o metaverso, qual a sua importância, como funciona, e o que o futuro lhe espera.

Tabela de Conteúdos

O que é o metaverso?

O Metaverso é uma rede interoperável e em grande escala de mundos virtuais 3D renderizados em tempo real que podem ser experienciados de forma síncrona e persistente por um número efetivamente ilimitado de uitilizadores com um sentido individual de presença e com continuidade de dados, como a identidade, o histórico, as prerrogativas, os objetos, as comunicações e os pagamentos.

Esta é a definição de Metaverso que nos é apresentada por Matthew Ball no seu livro “Metaverso – O que é, como funciona e porque vai revolucionar o mundo?”.

Esta é, na nossa opinião, a melhor forma de o descrever.

Tal como no livro, analisamos agora cada um dos oito elementos fundamentais desta definição:

  1. Mundos virtuais;
  2. 3D;
  3. Renderização em tempo real;
  4. Rede interoperável;
  5. Grande Escala;
  6. Persistência;
  7. Sincronicidade;
  8. Utilizadores ilimitados e presença inidividual.

Mundos virtuais

De entre todos os elementos que compõe o Metaverso, o facto de ser um mundo virtual não deve ser propriamente um novidade para si.

Quando falamos em mundos virtuais, referimo-nos a qualquer ambiente simulado 2D ,3D, ou 3D isométrico gerado por computador.

Estes mundos podem ser uma representação fidedigna do mundo real, ou então total fantasia, e podem ser afetados por diferentes utilizadores através de um rato, teclados, comandos, volantes, sensores de movimento ou até câmaras que seguem os nossos movimentos.

Estes mundos virtuais podem ter um só criador ou vários criadores diferentes, ter sido criados para jogar ou outras finalidades, e podem ter fins lucrativos ou não.

Alguns mundos virtuais são totalmente persistentes, em que tudo o que acontece lá é permanente, noutros casos nada é gravado, sendo que a experiência é renovada para cada utilizador.

No que respeita à governabilidade, alguns destes mundos virtuais podem ser controlados por uma só entidade, ou pelos seus utilizadores (alguns mundos virtuais são criados com base em tecnologia blockchain de forma a operarem de forma mais autónoma e descentralizada possível).

3D

Sem a tecnologia 3D, o Metaverso simplesmente não existiria.

Jogar com outros utilizadores? Trocar mensagens? Partilhar imagens ou vídeos? Reunir com colegas de trabalho? Tudo isto pode ser feito na internet atual.

É o 3D que eleva o Metaverso a todo um outro nível, proporcionando experiências de socialização virtual nunca antes vividas.

Esta nova “internet 3D” revolucionará diversas industrias, e na nossa opinião, coexistirá com a internet atual, não sendo o seu substituto como muitos afirmam.

Renderização em tempo real

Grande Escala

Persistência

Sincronicidade

Utilizadores ilimitados e presença inidividual.

Internet vs Metaverso: A diferença

Para entender a verdadeira diferença entre a internet e o metaverso, nada melhor que usar o exemplo prático da ida a um concerto musical:

  • Na internet, você pode partilhar fotografias ou vídeos do concerto que está a ver;
  • No metaverso, você vive o concerto em conjunto com os eus amigos.

Esta distinção entre “ver” e “viver” é fundamental para entender as diferenças entre as duas tecnologias.

A internet foi criada como uma ferramenta de partilha e acesso a informação do mundo real. De forma simplificada, essa informação apenas pode ser encontrada em websites ou plataformas como redes socias.

Hoje em dia, claro que podemos fazer compras na internet, mas a experiência de ver e escolher os produtos é feita de forma individual.

Pelo contrário, o metaverso é este novo mundo digital, onde os utilizadores vivem a sua vida digital.

Eles podem se encontrar com outros utlizadores e fazerem as suas compras juntos, nesta nova realidade virtual, onde as pessoas se fazem representar pelo seu avatar.

Eles não têm que partilhar com os seus amigos o que estão a viver, eles vivem a experiência juntos, em simultâneo no Metaverso.

Visto de outra forma, podemos dizer que a internet é uma extenção do mundo real, enquanto que o metaverso é um mundo virtual que existe em paralelo ao mundo físico.

“O que acontece no metaverso, fica no metaverso.”

Mas além de proporcionar uma nova forma de experenciar o mundo digital, qual a sua importância para o mundo real? Bem, vamos ver.

A sua importância

Na sua essência, o metaverso tem o potêncial de mudar para sempre vários aspectos das nossas vidas, alterando para sempre a forma como nos relacionamos com os outros e com a própria tecnologia.

É importante realçar que o metaverso está a dar os primeiros passos. O que vemos agora é apenas uma amostra do que o futuro nos espera.

Se há 20 anos alguém perguntasse “Qual é a importância de um telemóvel?”, a resposta seria algo como “Ligar a outros pessoas, claro! Não serve para mais nada.”. Bem, agora é fácil de ver que um smartphone serve para bem mais que isso.

A importância do Metaverso no futuro será bem maior do que podemos hoje imaginar.

Atualmente, o objetivo principal do Metaverso é oferecer uma nova forma de comunicação digital, mais “real” e imersiva, sem quaisquer barreiras geográficas. Pretende revolucionar a forma como as pessoas interagem e colaboram no mundo online.

Vejamos agora a importância que o metaverso poderá ter em diferentes sectores:

Educação

Um dos aspectos mais interessantes é o potêncial do Metaverso revolucionar o ensino. Este permite uma nova forma de ensino, mais estimulante e desafiante, adequada a uma geração que “nasceu com um smartphone nas mãos”.

Num ensino que cada vez mais pode ser feito à distância, a criação de salas de aulas virtuais, em complemento com a sala física, criará um ambiente mais adequado e estimulante, tanto para alunos como professores.

Economia

O metaverso tem o potencial de criar toda uma nova economia.

À medida que se vai desenvolvendo, também novos tipos de serviços surgirão. Novas formas de marketing e comunicação, compra e venda de terrenos e real estate digital, novas formas de facilitar conferências ou sessões de consultoria, entre outras.

Esta inovação levará à criação de novos empregos e novas fontes de rendimento.

Saúde

O metaverso será mais uma ferramena no avanço da ciência. Como?

Por exemplo, profissionias do setor farmacêutico poderão similar a estrutura molecular de uma vacina em 3D, partilhando e discutindo em tempo real de uma forma nunca antes vista, tudo dentro da realidade virtual.

Arquitetura

Arquitetos de todo o mundo poderiam colaborar em tempo real em um espaço virtual compartilhado, tornando o processo de design mais eficiente e inclusivo.

Os clientes e as partes interessadas também podem participar mais ativamente do processo de design, vendo o produto final de uma forma mais real e fornecendo feedback instantâneo.

Estes são apenas alguns exemplos do impacto do metaverso, teremos que dar asas à nossa imaginação para entender a total importânica do mesmo.

“Perfeito, já percebo melhor a sua relevância. Mas como posso aceder?” Vejamos na secção seguinte.

Como aceder ao metaverso

Atualmente, não existe uma forma única de aceder ao metaverso.

Como vimos anteriormente, não existe apenas um mas sim vários metaversos, desenvolvidos por diferentes organizações.

Cada metaverso tem seu propósito e diferentes requisitos para aceder. Na maioria dos casos, pode facilmente criar uma conta e começar a explorar o metaverso através do seu computador pessoal ou telemóvel.

Para um uso mais avançado das plataformas, poderá conectar a sua carteira de criptomoedas e envolver-se nas diferentes atividades.

Para uma experiência total e mais emergentes, alguns metaversos podem já ser explorados através de óculos de realidade virtual.

No futuro, acreditamos que a realidade virtual e as experiências de realidade aumentada serão os dois interfaces principais para aceder ao metaverso.

Atualmente, a grande maioria das experiências no metaverso podem ser acedidas através do browser do seu computador, desde que tenha uma boa ligação à internet, ou através dos seus dispositívos móveis como o tablet ou telemóvel.

E porque não experimentar? Fique aqui com uma lista de projetos relacionados com o metaverso.

Projetos no Metaverso

Existem vários mundos virtuais que se encontram em constante evolução. Entre eles, destacamos:

The Sandbox (SAND)

No mundo virtual Sandbox, os utilizadores podem comprar um terreno virtual e construir nele o que entenderem. Aqui, poderá assistir concertos com amigos, visitar galerias de arte digital, e muito mais. Artistas famosos como Snoop Dog, Steve Aoki, e marcas conhecidas como a Playboy ou Hell’s Kitchen já fazem parte deste universo.

Decentreland (MANA)

A iniciativa do metaverso Decentraland opera na rede Blockchain Ethereum e foi criada em 2020 por uma entidade sem fins lucrativos

Dentro do mundo virtual da Decentraland, podemos criar, comercializar e trocar  ativos digitais, além de possuir parcelas de terra virtual representadas como NFTs dentro da plataforma.

Desde sua criação, a Decentraland tem atraído atenção significativa no âmbito da web2, e marcas internacionais como Adidas, Samsung, PricewaterhouseCoopers e Sotheby’s investiram em propriedades nestecenário virtual.

Epic Games

A Epic Games, criadora do popular jogo de tiro online Fortnite – com cerca de 350 milhões de utilizadores – e do software Unreal Engine para criadores de jogos, planea afirmar-se no metaverso após uma ronda de financiamento de mil milhões de dólares em 2021.

A visão da Epic Games do metaverso difere da do Meta, na medida em que pretende proporcionar um espaço comum para os utilizadores interagirem uns com os outros e com as marcas – sem um feed de notícias repleto de anúncios.

Desafios

O futuro do Metaverso

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *