NFT: O Guia para a Propriedade Digital

O que é um NFT

NFT, ou Non-Fundgible Token em inglês, é um termo que tomou o mundo de assalto nos últimos anos.

Sectores como música, jogos de vídeo, arte, ou até o imobiliário nunca mais serão os mesmos após o aparecimento destes NFTs.

Mas porquê? Vale mesmo a pena gastar o meu tempo e dinheiro nisto? O que leva uma pessoa a dar centenas de milhares de euros por um desenho de um macaco?

Respondemos a todas estas perguntas neste guia.

Tabela de Conteúdos

Vamos começar.

O que é um NFT?

Um NFT, ou non-fungible token (token não fungível), é um ativo digital registado na Blockchain.

Quando nos referimos a “ativo digital”, falamos de imagens, músicas , vídeos, registos de propriedade adicionados à Blockchain.

Na criação de um NFT, é atribuída uma identificação única e metadados que o distingue dos outros tokens, o que permite tornar algo que anteriormente era fácil de copiar em algo ímpar, impossível de substituir por algo exatamente igual.

Os NFTs são então únicos e infungíveis:

  • Únicos, pois tal como o quadro da Monalisa é único no mundo físico, um NFT é único no mundo digital. Cópias da Monalisa são apenas isso, cópias.
  • Infungíveis, pois não pode ser susbtituído por outro ativo digital da mesma espécie, quantidade e valor. O quadro da monalisa não pode ser substituído, nada tem exatamente o mesmo valor.

Qualquer propriedade pode ser convertida num NFT, desde músicas, poemas, filmes, imagens, registos de propriedade, t-shirts num video jogo, ou até domínios.

Principais características

Todos os NFTs partilham os seguintes atributos:

  • Indivisíveis: Assim como não pode comprar um bilhete para um concerto de dividi-lo em dois para dar para duas pessoas assistirem ao espectáculo, um NFT também não pode ser repartido em dois;
  • Únicos: Um NFT por definição é não-fungível, ou seja não pode ser susbtituído. Pode trocar quatro notas de 5 euros por uma de 20 euros e fica com o mesmo valor. Nos NFTs tal não é possível, não existe alternativa igual;
  • Autênticos: Apesar de ser um ativo digital, estão são tão reais como um ativo físico. Assim como um anel de ouro pode ser autenticado por um joalheiro, um NFT pode ser autenticado por um especialista em Blochchain;
  • Raros: Devido ao seu carácter único, os NFTs são raros e podem ser colecionáveis. Assim como um quadro do Picasso é valioso pela sua raridade, também artistas pode criar edições limitadas de tokens;
  • Transferíveis: Um NFT é sempre propriedade de alguém, e este pode ser transferida de pessoa para pessoa. Assim como pode vender e transferir a propriedade do seu automóvel para o comprador, no caso de ativos digitais passa-se examente o mesmo.

Para que servem os NFTs?

Os NFTs têm diferentes utilidades dependendo do sector em que se inserem.

Vamos agora ver como estes tokens são utillizados atualmente para resolver problemas em diferentes sectores.

Espectáculos

Problemas comuns relacionados com o mundo dos espectáculos (festivais, concertos, teatros, etc), são a circulação de bilhetes falsos, roubo de bilhetes para utilização própria ou revenda no mercado negro por um preço muito superior.

Estes problemas podem facilmente ser resolvidos com a emição de bilhetes NFT, também conhecidos por bilhetes inteligentes.

Ao ficarem registados na Blockchain, é fácil identificar a veracidade do bilhete e a quem pertence esse mesmo ingresso.

Algumas empresas como a Oveit ajudam na criação destes novos bilhetes inteligentes.

Música

Com as músicas a serem transformadas em NFTs, o poder volta aos artistas.

Atualmente, empresas de streaming controlam a forma como adquirimos e ouvimos música, recebendo portanto a maior parte dos lucros (em deterimento dos artistas que vêm as suas margens cada vez mais reduzidas).

Ao converter uma canção num NFT, cria-se uma ponte que liga diretamente os artistas aos seus fãs. Deixa de haver necessidade de intermediários, sendo os músico o verdadeiro proprietário da sua obra.

Qualquer músico pode registar as suas canções na Blockchain, e vender diretamente aos seus fãs através de um marketplace. Assim, surge uma nova forma dos fãs apoiarem o seu artista favorito.

Existem já vários marketplaces onde os artistas podem registar e vender os seus NFTs tais como Audius, Sound XYZ, Royal, Opulous, e Catalog.

Imobiliário

Umas das aplicações mais extraordinárias, e fora da caixa, dos NFTs é no sector imobiliário.

Como explicámos anteriormente, um NFT corresponde a um registo de propriedade, e tudo pode ser tokenizado, desde bens digitais a bens físicos.

Um imóvel é algo único, não existem dois iguais, e é infugível, não pode ser substuído por algo exatamente igual. Como vimos, unicidade e infungibilidade são as duas características essencias dos NFTs.

Ao converter um imóvel num NFT, quem for o proprietário desse mesmo NFT, é então o proprietário do imóvel em questão. Todos na rede Blockchain saberão a quem pertence a propriedade.

Num sector tão burocrático como é o imobiliário, podem levar semanas ou mesmo meses o processo de aquisição de um imóvel.

Se o NFT funcionar como prova da propriedade de um imóvel, então a mudança de proprietário é imediata, não são necessários intermediários para validarem a transação (também aqui se poupa bastante dinheiro).

Mais, esse mesmo imóvel pode ser então adquirido através de criptomoedas, reduzindo para segundos o recebimento do pagamento, em vez de dias como acontece atualmente.

OpenSea - Markeplace de NFTs

Exemplos

Outros exemplos reais da aplicação de NFTs são:

  • Fotógrafos: Estes podem transformar as suas coleções de fotografias em NFTs e vendê-las em markeplaces como o OpenSea;
  • Identidade Digital: As empresas podem tokenizar (ou seja, registar) as suas marcas como NFTs, evitando assim outros se façam passar por elas na tentativa de beneficiar com issso;
  • Metaverso: NFTs funcionam como registo e prova de propriedade em tudo o que é utilizado no metaverso, desde roupa a terrenos digitais;
  • Desporto: Clubes pode criar coleções de NFTs direcionadas aos seus aficionados, concendendo benefícios especiais aos seus proprietários como descontos por exemplo.

A (ainda curta) História dos NFTs

Tudo começou quando o primeiro NFT, chamado Quantum, foi criado na Blockchain Namecoin por Kevin McCoy em 2014.

Outros projectos se seguiram, como o Spells of Genesis em 2015, o primeiro jogo criado na Blockchain baseado em NFTs, ou mesmo o Rare Pepes em 2016 que deram o pontapé de saída para a comercialização deste novo tipo de arte.

Contudo, nenhum destes projectos alcançou a notoriedade necessária, permanecendo no desconhecimento do público em geral.

Foi apenas em 2017 que os NFTs começaram a ganhar notoriedade, quando as primeiras coleções começaram a ser lançadas na blockchain Ethereum.

Antes do lançamento da Ethereum, não havia uma blockchain fácil de utilizar. O processo de criação e transferência de NFTs era moroso, caro, e de elevada complexidade para a pessoa comum.

Foram os contratos inteligentes da Ethereum que permitiram a criação, programação, armazenamento, e troca de NFTs diretamente na rede.

Este facilitsmo de processos levou à explosão das coleções de NFTs, e consequentemente ao aumento do interesse do público em geral.

Finalmente, com o lançamento do projecto CryptoPunks, uma coleção da Larva labs que vendeu NFTs por milhões de euros, estes novos tokens atingiram o estrelato.

Porque é que tem valor?

Existem vários factores que concedem valor a um NFT, nomeadamente:

  • Escassez
  • Autenticidade
  • Reputação do criador
  • Utilidade
  • Contexto histórico
  • Contexto cultural

A escassez é um factor essencial. O ouro tem valor pois é escasso, é limitado. Se o número de NFTs de uma coleção for limitado, então a probabilidade destes valerem mais é superior.

A autencidade vem logo após.

Os NFTs são criados para serem únicos. É portanto fundamental verificar se o NFT que queremos comprar é autêntico, e não uma simples cópia. Para tal, devemos verificar qual a Blochchain usada para criar o NFT, e verificar o seu histórico de transações.

A reputação do criador do NFT também é um critério base para atribuição de valor. Um quadro do Picasso possivelmente valerá mais que um quadro comprado a um artista de rua. Aqui, as mesmas regras se aplicam.

A utilidade também pode ser um critério de atribuição de valor. Alguns NFTs concedem benefícios aos seus proprietários, por exemplo descontos em eventos ou em merchadinsing das empresas que lançaram a coleção.

Contexto histório e cultural também podem ser factores a ter em conta. Uma fotografia de um discurso histórico transformada em um NFT pelo seu fotógrafo tem um valor incalculável.

Tipos de NFTs

Atualmente existem os seguintes tipos de NFTs:

  • PFP NFTs: Do inglês Profile Picture (foto de perfil), são NFTs utilizados principalmente como avatares nas redes sociais somo o Twitter, conferindo um certo estatuto a essas contas. Os Bored Ape Yatch Club são talvez o exemplo mais famoso deste tipo de NFTs;
  • Música: Ao comprar o NFT de uma música, o proprietário fica com direitos sobre essa mesma canção. Por exemplo, sempre que a sua música NFT for tocada num canal de stream, você ganhará royalties sobre a mesma;
  • Domínios NFT: Um Domínio NFT, ou domínio Web3, é um tipo de NFT que representa uma palavra ou número, servindo de identidade digital de uma pessoa ou entidade na Blockchain;
  • Fashion NFTS: Marcas como a Puma já desenham ténis digitais que podem ser usados no metaverso. Penso nisto como um reforço da sua identidade pessoal.

Como comprar

Hoje em dia, existem vários sites (marketplaces) que se dedicam à compra e venda de NFTs. A maioria dos mesmos operam através da blockchain Ethereum, usando a sua criptomoeda nativa (Ether) nas suas transações.

Vamos então ver como pode comprar o seu primeiro NFT passo-a-passo:

  1. Adquir uma carteria de criptomoedas compatível com Ethereum;
  2. Adquirir algum Ether numa exchange à sua escolha;
  3. Registar-se num Marketplace the NFTs;
  4. Conectar a sua carteira ao Marketplace;
  5. A melhor parte, pesquisar NFTs;
  6. Fazer a sua oferta de aquisição;
  7. E já está! Você é agora proprietário do seu NFT.

Como manter os NFTs seguros

Comprar um NFT é apenas o primeiro passo. É importante perceber a importância de o manter seguro.

Infelizmente, o roubo de NFTs é mais frequente do que pode pensar. Devido ao seu valor de mercado, tornam-se um alvo bastante apetecível para piratas informáticos.

Por exemplo, se clicar num link malecioso e submeter as suas credencias para login, o hacker pode facilmente roubar os seus preciosos NFTs.

É então de vital importância aprender a manter os seus ativos digitais o mais seguros possível.

Existem vários métodos, contudo o que nós recomendamos é guardar os seus NFTs numa carteira física, também conhecida por carteira fria (do inglês cold wallet).

Uma carteira fria de criptomoedas é um dispositívo físico, como uma pen drive, que permitem guardar criptomoedas e NFTs offline, ou seja “fora” da internet. Apenas se os piratas conseguirem roubar a sua carteira é que eles podem então ter acesso às suas chaves privadas e consequentemente roubar os seus tokens.

É esta camada extra de segurança que tornam as carteiras físicas de criptomoedas a escolha certa para proteger os seus NFTs.

Atualmente, as duas marcas de carteiras de criptomoedas líderes de mercado são a Ledger e a Trezor.

Perguntas Frequentes

Onde comprar NFTs?

Pode comprar NFTs em Marketplaces especilizados tais como a OpenSea ou a Rarible.

Os NFTs existem só na Blockchain Ethereum?

Não, também poderá criar NFTs em outras Blockchains tais como Solana, Fantom, Zilliqa, entre outras.

Quanto custou o NFT mais caro de sempre?

O NFT mais caro de sempre, o The Merge, foi vendido por 91.8 milhões de dólares.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *